Cartão próprio impulsiona as vendas em pequenos supermercados

30 . jun . 2016 Imprimir esse Artigo

cartaoproprioPequenas redes, ou até mesmo aquele varejista que possui uma única loja na periferia ou cidade do interior, passaram a contar com novas ferramentas, como cartões de crédito de marca própria, programas de fidelidade e plataforma de CRM.

As alternativas de crédito vão colocar o pequeno e médio varejista na disputa pelos consumidores oferecendo os mesmos benefícios que grandes redes de hipermercados.

Estudo comparativo das vendas por CPF, antes e depois da adesão ao cartão de crédito da loja, apontou um aumento de 33% da presença dos portadores de cartão na loja, e gasto médio mensal 16% maior, resultando em um gasto mensal 55% maior que clientes que não adotam essa facilidade. A pesquisa, realizada no ano passado pela DMCard, administradora de cartões de crédito private label, recebeu o aval do Centro de Excelência em Varejo da Fundação Getulio Vargas.

“Pesquisas do gênero costumam tratar todos os tipos de cartão de crédito em um mesmo estudo, no entanto, os resultados encontrados pela DMCard mostram como o cartão de marca própria resulta em um comportamento de consumo e fidelidade diferentes. “Agora ficam claros os impactos de vínculo emocional, poder de compra, conveniência de pagar fatura na loja e, principalmente, os dados que permitem fazer ações direcionadas com nossas ferramentas de CRM”, contou o gerente comercial da DMCard, Maurício Meneghetti, que atua no mercado de bens não duráveis há 13 anos.

Grandes redes possuem seu cartão de crédito próprio, administrado internamente, como o Carrefour, ou por grandes bancos como é o caso da rede Pão de Açúcar, e os programas de recompensa como o Cliente Mais, do Pão de Açúcar, ou em parcerias simples com outros programas que acumula milhas Smiles, por exemplo. Seja qual for a escolha, esta vem se tornando uma tendência para o comércio em geral, do pequeno ao grande, sem distinção.

Na região de Bauru, a DMCard implantou de forma pioneira, em 2014, o programa de vantagens no La Villa Supermercado, em Ourinhos, cidade com pouco mais de 110 mil habitantes. Com quase dois anos em atividade, o programa exibe números robustos para o mercado local. Segundo o diretor da SouMais Marketing e Fidelização, Marcelo Jacinto, o programa acumula perto de 13 milhões de pontos disponíveis para troca e “42% da venda da loja já está dentro do programa SOU+LaVilla, para um programa de dois anos de existência é um bom número em nossa carteira de clientes”, declarou.. A loja possui 6,5 mil clientes no programa de forma ativa, pontuando e trocando mensalmente. A distribuição dos resgates está dividida em: 53% em crédito na fatura do cartão da loja; 34% em recarga de celular; 7% em desconto nas compras/ voucher de desconto e 5% em milhas aéreas. “O SOU+ é uma importante ferramenta para reforçar um dos pilares da atuação da DMCard, que é o foco no relacionamento com nossos clientes varejistas e a fidelização do usuário final”, comentou o executivo.

Outro cuidado da DMCard foi estruturar o programa de forma a facilitar a consulta do saldo de pontos e agilizar o resgate e a obtenção dos produtos e serviços. “Queremos que nossos clientes percebam o SOU+ como uma vantagem concreta e utilizem seus pontos, de forma a serem estimulados a realizarem novas compras”, complementou o gerente. Em 2015, os cartões administrados pela DMCard movimentaram R$ 824 milhões, o que representa um acréscimo de 29% quando comparado ao ano anterior. Os bons resultados do grupo e desse mercado podem ser verificados por números mapeados pelo grupo durante o ano de 2015, com crescimento de 24% do número de transações realizadas com cartões; 4% do gasto médio por cartão; 31% do número de cartões ativos e 40% de produtos financeiros comercializados, com quatro novos produtos. Para Meneghetti, 2016 tem sido o melhor ano na história da DMCard. ” Nunca tivemos tantas redes nos procurando para fazer seu cartão próprio”, afirmou. Na opinião do executivo, a crise veio reforçar a importância de varejistas terem um cartão próprio para aprofundar relacionamento com consumidor em ano desafiante para o setor. Ele ressaltou que, curiosamente, a empresa tem sido procurada por redes que já tem um cartão próprio com bancos grandes.

“Estes têm baixado sua taxa de aprovação a menos de 20%, e com nível insatisfatório de serviço, enquanto que nós, como especialistas, temos mantido nossa aprovação perto de 50% e disparado o melhor nível de serviço segundo os consumidores no site ReclameAqui”, finalizou.

Fonte: DCI

TAG
cartão próprio sindivarejista campinas supermercados varejo
CATEGORIAS
Economia Empreendedorismo SindiVarejista