Comerciantes relatam queda no movimento de clientes com obras na Glicério

03 . mar . 2015 Print This Article

O primeiro dia útil das obras de revitalização da Avenida Francisco Glicério, em Campinas, registrou fluxo normal no trânsito apesar de um bloqueio e mudanças parciais no deslocamento de motoristas. Na segunda-feira (02), as duas faixas da pista interna da Avenida Orosimbo Maia, no cruzamento com a Glicério, foram liberadas para tráfego. Comerciantes instalados proximos onde a via foi fechada registraram queda do movimento de clientes.

Os trabalhos tiveram início no sábado e devem se estender por 45 dias no primeiro trecho, de 2140 metros, na área do cruzamento da Glicério com a Orosimbo Maia. No sábado houve muita confusão principalmente para os usuários de transporte coletivo, que reclamaram da falta de informação sobre onde os ônibus passariam.
Entretanto, e Empresa de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) informou, às 18h, que não foram registrados pontos de lentidão na Orosimbo Maia nos períodos mais críticos do dia. O reflexo do bloqueio da Glicério foi sentido na Rua José Paulino (entre General Osório e Orosimbo), às 13h22 e 16h11. De acordo com a Emdec, a lentidão de aproximadamente 450 metros na via foi em decorrência da sobrecarga de veículos que utilizavam a Rua Delfino Cintra como opção para desviar do bloqueio Orosimbo Maia-Glicério.

A opção para o motorista que está na Orosimbo Maia e quer acessar o trecho é fazer desvio pela Rua Isolethe Augusta Aranha, que fica antes da Glicério. Durante a interdição, esse acesso local será permitido pela contramão no trecho das obras.

A proprietária de uma loja de roupas femininas na Glicério, que está instalada a poucos metros de onde foi feito o bloqueio total, relata que já sentiu queda no fluxo de clientes. "Eu acredito que depois que passar o transtorno o local ficará bonito, e será mais valorizado. Mas por enquanto estamos estimulando nossas clientes a fazerem compras pela nossa loja virtual", relatou Monique Forner de 19 anos.

Funcionários começavam a cortas asfalto rente à guia, para onde será levada a fiação. Além da fiação aterrada, o plano estabelecido prevê mudanças no trânsito e paisagismo. Bancas e barracas de comércio serão padronizadas e até mesmo calçadas serão maiores. Os pontos de ônibus e táxi terão lugares específicos e fluxo de pessoas e motoristas na via será alterado.

Fonte: Correio Popular

CATEGORIAS
SindiVarejista