Crise fechou quase 8 mil vagas no varejo de Campinas nos últimos 4 anos

04 . maio . 2017 Imprimir esse Artigo

O varejo de Campinas perdeu 7.973 vagas formais de emprego em um período de quatro anos, segundo levantamento feito pela FecomercioSP em parceria com o SindiVarejista de Campinas e Região. O dado considerou o saldo acumulado de janeiro de 2013 a fevereiro de 2017. O saldo negativo foi o resultado de 173.098 admissões menos 181.071 desligamentos. Neste período, apenas o setor de Farmácias e Perfumarias registrou aumento de emprego, com 538 vagas.

No restante, todas as atividades viram seu mercado de trabalho retrair. Em número de vagas, o setor mais atingido com as demissões neste período foi o de Vestuário, Tecido e Calçados. Ele apresentou o corte de 3.182 postos de trabalho a menos no comércio varejista da cidade. Na sequência, o segundo setor mais atingido foi o de Materiais de Construção com a eliminação de 1.796 vagas. A crise também afetou o setor de Concessionárias de Veículos que eliminou, no período, 961 vagas. Atualmente, o mercado de trabalho do varejo da cidade é composto por 70.154 vínculos com carteira assinada.

Ocupações mais atingidas

O levantamento também considerou as ocupações que mais tiveram fechamento de vagas no varejo. Os vendedores e os demonstradores de produtos foram os que mais perderam seus cargos com o fechamento de 2.136 vagas. Na sequência, os gerentes de áreas de apoio foram os mais atingidos com o fechamento de 674 vagas e, os gerentes de produção e operações, com 608 vagas fechadas. Os trabalhadores de Construção Civil ficaram na quarta posição: com menos 534 vagas.

“No caso das cinco ocupações com mais fechamentos de vagas, duas eram preenchidas por gerentes. Este resultado demonstra o poder difundido do impacto da crise econômica nos estabelecimentos. O segundo ponto de atenção é que o caráter de essencialidade das farmácias garantiu certa estabilidade do seu mercado de trabalho, desde 2013”, afirmou o economista da FecomercioSP, Jaime Vasconcellos.

Para a presidente do SindiVarejista, Sanae Murayama Saito, o processo de retração das vagas no trabalho formal passa por estancamento. “Mesmo havendo ainda mais desligamentos do que admissões, tal perda de postos de trabalho se torna cada vez mais amena. A tendência é uma reação mais consolidada no segundo semestre. A retomada, mesmo que amena das contratações, deverá vir dos setores que demitiram”, explicou Sanae Murayama Saito, presidente do SindiVarejista.

Índice de Confiança do Consumidor

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) de Campinas, levantamento feito pelo SindiVarejista, teve alta de 7,4 pontos entre os meses de março e abril. O ICC passou de 109,3 para 116,7 pontos. A variação é considerada positiva e dentro do esperado.

O indicador utilizado na pesquisa varia entre 0 e 200 pontos, sendo que abaixo de 100 significa pessimismo e, acima, otimismo. O ICC é composto pelo Índice das Condições Econômicas Atuais (ICEA), que revela a disposição em consumir neste momento, e pelo Índice de Expectativas do Consumidor (IEC), que aponta a perspectiva das pessoas em comprar no futuro, sem considerar o cenário atual.

Vendedores e Demonstradores: -2.136 vagas, sendo -1.594 vagas nas Lojas de Vestuário, Tecido e Calçados;

Gerentes de Áreas de Apoio: -674 vagas, sendo 123 vagas nas Lojas de Vestuário, Tecido e Calçado;

Gerentes de Produção e Operações: -608 vagas, sendo -431 vagas nas Lojas de Vestuário, Tecido e Calçado;

Trabalhadores da Construção Civil: -534 vagas, sendo -501 vagas Lojas de Materiais de Construção;

Escriturários em Geral, Agentes, Assistentes e Auxiliares Administrativos: -516 vagas, sendo -255 vagas nas Lojas de Vestuário, Tecido e Calçado.

Embaladores e Alimentadores de Produção: +263 vagas, sendo que somente os Supermercados possuem saldo de +302 vagas;

Trabalhadores nos Serviços de Administração, Conservação e Manutenção de Edifícios e Logradouros: +203 vagas, sendo +98 vagas nos Supermercados;

Profissionais da Medicina, Saúde e Afins: +174 vagas, sendo +141 vagas nas Farmácias e Perfumarias;

Trabalhadores de Manobras Sobre Trilhos e Movimentação e Cargas: +91 vagas, sendo +52 vagas nas Lojas de Eletrodomésticos, Eletrônicos e Departamentos;

Trabalhadores nos Serviços de Proteção e Segurança: +88 vagas, sendo +70 vagas nas Lojas de Eletrodomésticos, Eletrônicos e Departamentos.

TAG
campinas emprego fecomerciosp vagas fechadas varejo vendas
CATEGORIAS
Economia Empreendedorismo SindiVarejista