Golpe do boleto gera alerta do Sebrae para cobrança indevida

05 . ago . 2013 Imprimir esse Artigo

O sinal de alerta se ascendeu no Sebrae, pois, em média, a entidade recebeu mil ligações mensais com queixas sobre falsos tributos. As cobranças indevidas enviadas por associações fantasmas jamais devem ser pagas, avisa a entidade.

Isso vale, principalmente, para empreendedores que acabam de formalizar o seu negócio e são vítimas do chamado "golpe do boleto". Após abrir a empresa junto aos órgãos oficiais, entidades fantasmas aproveitam a inexperiência dos novos empresários para enviar indevidamente fatura dos mais diversos valores como se fossem tributos obrigatórios.

A prática não é tão nova, mas na medida em que o empreendedorismo aparece em alta como um dos principais atores da economia no País, as reclamações junto ao Sebrae crescem bastante. Em média, o serviço 0800 tem atendido mil ligações por mês para esclarecimento desse tipo de cobrança.

"A recomendação é simples: não pagar jamais", explica o diretor-superintendente do Sebrae, Bruno Caetano. "Essas entidades fantasmas ganham dinheiro na desinformação dos empreendedores. Após cair no golpe e realizar pagamento, dificilmente o empresário terá seu dinheiro de volta. Está com dúvidas sobre qualquer cobrança procure o Sebrae. O serviço é gratuito e ainda protege o empresário desse tipo de fraude."

Levando em consideração que os empresários recém-formalizados são as vítimas preferidas dos estelionatários, os números dão uma dimensão do potencial da fraude. De acordo com a junta Comercial de SP, em 2012 foram abertas 464 mil empresas (incluindo Micro Empreendedores Individuais – MEIs), no Estado de São Paulo.

Para quem está com dúvidas sobre a cobrança, o Sebrae matem um serviço de atendimento gratuito pelo 0800 570 0800. Ele funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h. Quem preferir pode ir pessoalmente a um dos 33 escritórios do Sebrae espalhados pelo Estado (www.sebraesp.com.br).

O boleto falso

Para ludibriar os empresários e dar ainda mais realidade ao golpe, as entidades fantasmas utilizam um boleto muito similar ao enviado por bancos para pagamento de títulos e tributos. Em muitos casos, chegam a usar a marca do banco no documento. Alguns falsos boletos apresentam artigos da Constituição Federal que citam prováveis punições caso o valor cobrado não seja quitado. Outra característica é a data para vencimento. Os boletos são enviados sempre próximos da data definitiva da cobrança.

Fonte: DCI

CATEGORIAS
SindiVarejista