IBGE: TV puxa venda de eletrodomésticos em maio

13 . jul . 2010 Imprimir esse Artigo

RIO – As atividades de hiper, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo e de móveis e eletrodomésticos responderam, juntas, por 7 pontos porcentuais da elevação de 10,2% nas vendas do comércio varejista em maio ante igual mês do ano passado. O grupo de hiper e supermercados tem o maior peso na pesquisa.

O técnico da coordenação de serviços e comércio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Reinaldo Pereira, disse que o aumento de 19,5% nas vendas de móveis e eletrodomésticos em maio ante maio de 2009 refletiu uma antecipação nas compras de televisores para a Copa do Mundo iniciada em junho. Essa atividade foi responsável, sozinha, por 3,1 ponto porcentual na elevação total das vendas do varejo no mês. Apesar da alta ante igual mês do ano anterior, houve queda de 0,3% nas vendas desse grupo de produtos ante abril.

No que diz respeito à atividade de hiper, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, a participação no resultado total das vendas do varejo em maio ante igual mês do ano anterior foi de 3,9 ponto porcentual. Houve aumento, nesse grupo, de 8,2% nas vendas nessa base de comparação e elevação de 0,8% ante o mês anterior.

Pereira disse também que os dados de maio do varejo confirmam que a queda nas vendas em abril ante março (-3,1%) haviam representado uma "acomodação pontual" e o setor retomou a trajetória de crescimento em maio, acompanhando a expansão da economia. "A retomada do comércio em maio reflete o aumento da massa salarial, com elevação da renda do trabalho e redução da taxa de desemprego. Além disso, parece que o Dia das Mães este ano foi melhor do que no ano passado e houve, ainda, antecipação das compras de eletrodomésticos para a Copa do Mundo iniciada em junho", afirmou o técnico.

O IBGE divulgou hoje um aumento de 1,4% nas vendas do comércio varejista em maio ante abril e alta de 10,2% na comparação com maio do ano passado. Segundo Pereira, os dados comparativos a igual m&ecircecirc;s do ano passado mostram também efeitos de uma base de comparação deprimida de 2009.

CATEGORIAS
Economia SindiVarejista