Novo sistema de cupom fiscal, SAT-CF-e, teve início nesta quarta-feira, dia 1º de julho

03 . jul . 2015 Imprimir esse Artigo

Teve início na última quarta-feira (1º de julho) a mudança na forma de emitir o Cupom Fiscal. A alteração que visa trocar  a atual maquininha usada pelos lojistas, em papel amarelo, pelo novo Sistema Autenticador e Transmissor de Cupons Fiscais Eletrônicos (SAT-CF-e), instalado em novo equipamento.

Inicialmente, a alteração atinge comerciantes que possuem o emissor com mais de cinco anos de uso e os novos estabelecimentos. Os demais deverão continuar com a atual maquininha. Quando o prazo de uso chegar aos 5 anos, ela deverá ser trocada.

Até o final deste ano, 70 mil estabelecimentos comerciais deverão efetuar a troca de 140 mil ECFs pelo equipamento SAT, responsável pela geração do Cupom Fiscal Eletrônico (CF-e), sua assinatura digital e transmissão periódica ao Fisco.

Contadores e varejistas participaram de palestras, duas promovidas pelo SindiVarejista, no início do ano, e ouviram a respeito do novo sistema, que vai alterar todo o processo de vendas.

A grande diferença entre os equipamentos, segundo o gerente da Moura Informática, Thiago de Carvalho, é que o SAT é homologado pelo fisco e capaz de transmitir a informação de venda para a Secretaria da Fazenda (Sefaz) sem a necessidade de o lojista intervir ou formatar arquivos, como acontece hoje. Ou seja, o novo sistema vai permitir que a Sefaz acompanhe a venda da loja, o que, para o fisco, é uma forma de inibir a sonegação de ICMS.

“O governo vai ter uma ideia real das vendas porque conseguirá saber o que está se passando nas lojas. Hoje
isso não ocorre. É uma das mudanças implantadas para fechar o cerco às fraudes. Logo será implantado o e-Social", afirma Carvalho.

Operação

Com o novo sistema é só o lojista emitir a nota para o consumidor e conectar o equipamento à internet para que seja feita a transmissão. Por ser um equipamento homologado, o estabelecimento pode trabalhar off-line, isto é, não há necessidade do uso da internet nos pontos de venda. Os dados podem ser transmitidos em até 10 dias.

&ldqldquo;A Nota Fiscal será emitida pela internet e também pelo smartphone. Para o consumidor ficou melhor porque além da Nota Fiscal Paulista, emitida automaticamente, aumenta a segurança. Para o comerciante, apesar do investimento, o ponto de venda fica mais ágil”, afirmou.

Carvalho lembrou que o novo sistema reduz custo. “Diferente do aparelho atual, ele pode operar em rede, e não precisa estar em todos os caixas”.

CONTADORES

Para os contadores, a previsão é de que o novo sistema facilite as coisas. “Principalmente no que diz respeito à escrituração fiscal. Ele terá um arquivo em “xml” que será preciso importar para o sistema de contabilidade. Hoje ele importa o arquivo gerado, mas sem parâmetros. Ou seja, perde horas mudando informações ou completando”.

Com o SAT, não será preciso mudar nada. “É tudo rápido. Não precisa intervir. Isso deixa o processo seguro. O atual emissor ficou defasado em relação aos programas utilizados na contabilidade”. O gerente ainda lembra do papel fundamental do contador em absorver informações do novo sistema para informar seus clientes. “É fundamental o conhecimento para poder passar ao comerciante. N&aatilde;o é tão complicado como parece”.

COM ASSISTÊNCIA

Quem já aderiu ao sistema aponta benefícios, porém ressalta a importância de fazer a instalação com acompanhamento da empresa fornecedora. O dono da sorveteria JR Cenzi, José Cenzi, está utilizando o SAT da Moura há dois meses. “Além do equipamento, contratei a assistência da empresa. Isso faz toda a diferença no dia a dia”, disse. Ele lembrou que um comerciante vizinho adquiriu o sistema, mas sem o acompanhamento especializado, e está tendo problemas.


Assessoria de Imprensa Sindivarejista (imprensa@sindivarejistacampinas.org.br)
Bruna Mozer e Luciana Félix – (19) 3775-5560
bruna.mozer@sindivarejistacampinas.org.br ; luciana.felix@sindivarejistacampinas.org.br

CATEGORIAS
SindiVarejista