Veja como você pode vender mais por meio do marketplace

22 . fev . 2021 Print This Article

A pandemia do coronavírus fez crescer as vendas on-line. No mês de dezembro de 2020, a alta foi de 53,83%, em relação ao mesmo período de 2019. O faturamento, considerando a mesma base comparativa, teve crescimento de 55,74%.

O comerciante que já fazia vendas de forma on-line se deu bem com toda a crise causada pela covid-19. Por outro lado, teve aqueles que tiveram que aprender a vender também desta forma.

Uma das formas de vender on-line, principalmente para aqueles que não têm um site de vendas, é por meio do “Marketplace” que utiliza o conceito de oferecer tudo em um só lugar. Como um mercado, ou shopping, onde o consumidor encontra todos os tipos de produtos.

Em uma tradução, marketplace seria “lugar de compras”. No mundo físico, nós o conhecemos como shopping: diversas lojas reunidas em um mesmo local com várias ofertas de produtos.

Com o marketplace, esse conceito de reunir as categorias de produtos em um só local passou para o mundo virtual. Mas, no Brasil, surgiu com força apenas em meados de 2013. Os lojistas passaram a ter maior alcance dos seus produtos e os marketplaces lucram com a comissão recebida destes sellers (como são chamados os lojistas que vendem nesses espaços).

É um relacionamento ganha-ganha: enquanto o vendedor expõe seus produtos e recebe suporte por vender naquele ambiente, o marketplace apresenta uma variedade muito maior de produtos para os visitantes do site.

Confira os principais marketplaces no Brasil:

Mercado Livre – um marketplace genuíno. É o único no país que realmente oferece seu tráfego de visitas, estrutura do site, gestão de anúncios e demais serviços sem concorrer com seus sellers. Ou seja, o Mercado Livre não oferece produtos de um estoque próprio. Por isso consideramos o marketplace mais antigo e “puro” da modalidade no Brasil.

Buscapé – O Buscapé é um site de serviços gratuitos de busca de produtos e pesquisa de preços. No entanto, desde o segundo semestre de 2017, também virou um centro de comércio virtual, onde se pode comprar produtos de várias lojas diferentes.

B2W Digital – Dona de famosas bandeiras do mundo online, como Submarino, Americanas e Shoptime.

Via Varejo – uma das maiores varejistas do país. A Via Varejo é dona das bandeiras Casas Bahia, Extra e Ponto Frio.

Magazine Luiza – a “Magalu”, como é conhecida do grande público, é considerada pelos especialistas a empresa com maior possibilidade de crescimento no mercado nos próximos anos.

Walmart – A francesa fez tanto sucesso com marketplace, que optou por focar suas vendas online somente nesses espaços.
E muitos outros espaços, como Amazon, Netshoes, Zattini, Mobly, Madeira Madeira, Carrefour, Ricardo Eletro, Zoom, Shoptime, Dafiti,
Kanui, Tricae, C&A, Saraiva, Centauro…

E para vender em um Marketplace?
O processo para começar a vender em marketplaces, resumidamente, funciona assim:

O Marketplace e a loja fecham o acordo e o lojista recebe sinal verde para vender;
O lojista enriquece os produtos e os disponibiliza para venda;
Consumidor efetua a compra no Marketplace;
Lojista recebe o pedido e realiza a entrega;
Consumidor recebe o produto do lojista;
Marketplace liberar o pagamento ao lojista já descontando a comissão cobrada por venda.

E quais são as vantagens de vender nesses espaços?
Vendendo em um marketplace, você não só tem a chance de atrelar a sua marca a uma loja muito mais conhecida, como também ter toda a divulgação feita por ele!

Isso também significa zero problemas com toda a questão de segurança de dados (que sabemos que pode dar um problema danado!) e com toda a parte de infraestrutura que ter uma loja exige.

Assim, os seus produtos serão visualizados por centenas de pessoas diariamente, o que pode aumentar muito as suas vendas!

Fonte

TAG
SindiVarejista
CATEGORIAS
SindiVarejista