Vendas do comércio varejista na região de Campinas crescem 4% em outubro

18 . jan . 2018 Imprimir esse Artigo

Em outubro do ano passado, o faturamento real do comércio varejista na região de Campinas atingiu R$ 4,54 bilhões, alta de 4% em relação ao mesmo mês de 2016, a oitava alta consecutiva nessa base de comparação. De janeiro a outubro, a elevação foi de 3,5% no comparativo anual, e, no acumulado dos últimos 12 meses, o avanço foi de 3,3%.

Os dados são da Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista no Estado de São Paulo (PCCV), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) com base em informações da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo (Sefaz-SP) e com apoio do SindiVarejista de Campinas e Região.

Entre as nove atividades analisadas pela pesquisa, sete apresentaram elevação em relação ao mesmo período do ano passado. Os destaques positivos ficaram por conta dos segmentos de concessionárias de veículos (10,8%); outras atividades (3,1%); e farmácias e perfumarias (7%). Juntas, as três atividades impactaram positivamente o resultado em 2,9 pontos porcentuais (p.p.).

Já os destaques negativos ficaram por conta dos segmentos de lojas de vestuário, tecidos e calçados (-0,7%) – impactando o resultado em -0,1 ponto porcentual –; e materiais de construção (-0,1%), que teve impacto nulo no resultado geral do varejo na região de Campinas no mês de outubro.

Desempenho estadual

Em outubro, as vendas do comércio varejista no Estado de São Paulo cresceram 4,3% em relação ao mesmo mês de 2016 e atingiram R$ 52,7 bilhões, R$ 2,17 bilhões acima do apurado no mesmo período do ano anterior. Com esses resultados, a variação acumulada no ano de 2017 foi de 4,4%, que, em termos reais, representa um faturamento superior ao registrado entre janeiro e outubro de 2016 de R$ 21,2 bilhões.

Como tem sido recorrente há meses, em outubro, o desempenho do varejo foi positivo em todas as 16 regiões analisadas, com destaque para as regiões de Guarulhos (10,4%), Taubaté (8,4%) e Araçatuba (7,5%).

Todas as nove atividades pesquisadas mostraram aumento em seu faturamento real em outubro, com destaque para concessionárias de veículos (9,2%); outras atividades (3,3%); e materiais de construção (8,5%); que, somadas, contribuíram com 2,4 pontos porcentuais (p.p.) para o resultado geral.

De acordo com a FecomercioSP, o ciclo de recomposição das vendas varejistas permanece sustentado pela conjunção positiva de inflação, emprego e crédito, que elevou o nível de confiança das famílias e das empresas. O processo de recuperação permanece liderado pelo segmento de bens duráveis, o mais afetado pela crise 2014-2016, quando sofreu retração de vendas de 30%. As atividades ligadas ao comércio desses bens apresentaram um resultado acima das estimativas traçadas no início de 2017, o que indica que os consumidores estão mais seguros para a aquisição de bens dependentes de crédito, em função da melhoria de suas expectativas.

Fonte: FecomercioSP

TAG
campinas comércio fecomercio setor varejo vendas
CATEGORIAS
Economia Empreendedorismo Releases SindiVarejista