Vendas do Dia dos Namorados ficam abaixo do previsto na RMC

17 . jun . 2013 Imprimir esse Artigo

O faturamento do conmercio varejista da RMC (Região Metropolitana de Campinas) com as vendas do Dia dos Namorados cresceu 4% em comparação com o ano passado, mas ficou abaixo dos 6% estimados pela Acic (Associação Comercial e Industrial de Campinas). De acordo com a projeção da entidade, o faturamento foi de R$ 335 milhões, ante R$ 321 milhões no ano passado. A expectativa da associação era de que a data movimentasse R$ 340 milhões em toda a região, dos quais R$ 180 milhões em Campinas- o faturamento na cidade chegou a R$ 176 milhões.

Segundo o economista da Acic, Laerte Martins, responsável pela projeção, a culpa pelo crescimento abaixo do estimado é da atual conjuntura econômica. Apesar de a taxa de desemprego estar em um dos menores patamares da história, a recente alta da inflação elevou o preços do presentes e reduziu o poder de compra do consumidor.

O efeito já era visto no Dia das Mães, cujo crescimento no faturamento neste ano também ficou aquém das expectativas. Enquanto o comércio estimava uma alta de 9,1%, as vendas foram 6,4% maiores que em 2012. A injeção foi de R$ 858 milhões no comércio da RMC,abaixo dos R$ 600 milhões estimados.

"O poder de compra foi afetado pela conjuntura econômica, e o consumidor está comprando menos. A inflação subiu e os presentes ficaram mais caros. Mas, de qualquer maneira, houve uma alta em comparação com o ano passado, e o Dia dos NAmorados segue como a quarta melhor data para o comércio", avaliou Martins.

A boa notícia ficou por conta das vendas à vista, que registraram alta de 1,9% em comparação com o mês de maio. Por outro lado, as vendas a prazo tiveram queda de 0,9%. Para Martins, os desempenhos são indícios de que a alta dos juros e a inadimplência estão diminuindo o ímpeto dos consumidores de utilizarem o crédito por gastar dinheiro que tem no bolso.

"Com os juros subindo, o pessoal está fugindo do financiamento e comprou menos a prazo. Nos 15 dias anteriores ao Dia dos Namorados o movimento à vista subiu e o a prazo caiu. O caixa está apertado para o pagamento das contas futuras", analisou o economista.

Tíquete médio

O valor médio gasto na compra do presente do Dia dos Namorados ficou praticamente dentro do previsto pela Acic. A projeção inicial era por um tíquete médio de R$ 102, e o valor gasto pelo consumidor ficou em aproximadamente R$ 100.

No ano passado, o tíquete médio da data foi de R$ 95, o que corresponde a uma expansão de 5%. "O tíquete médio no Dia dos Namorados foi de cerca de R$ 100 e ficou mais ou menos dentro daquilo que nós esperávamos para a data", concluiu Laerte.

Fonte: Todo Dia

CATEGORIAS
Economia SindiVarejista