Entrevista: “Identificação com valores da empresa gera engajamento”

12 . jan . 2018 Imprimir esse Artigo

Bárbara Marrara, coordenadora de Gente e Gestão da Chilli Beans, participou do 1º Fórum Gestão de RH no Varejo realizado pelo SindiVarejista. Ela contou como é feito o processo de seleção da empresa e como a liberdade de expressão é um diferencial. Confira trechos da entrevista:

Bárbara Marrara, coordenadora de Gente e Gestão da Chilli Beans

Quais são os principais desafios nos processos de recrutamento das empresas?
O maior desafio é fazer uma boa entrevista. Muitas vezes, o candidato está no processo de seleção por não ter outras opções de trabalho, sem ter qualquer identificação com os valores da empresa. Para nós, essa identificação com os valores é muito importante e tem demonstrado ser um dos principais fatores responsáveis pelo engajamento dos nossos colaboradores.

Ter valores em comum é um dos critérios mais importantes na Chilli Beans?
A qualidade dos funcionários e, principalmente dos vendedores, é muito maior quando se têm valores em comum. Se o colaborador não tiver um alinhamento com os nossos produtos e com a empresa, qualquer trabalho que pague um pouco a mais fará ele pedir demissão. Consideramos que hoje a identificação com os valores gera engajamento e faz com que esse funcionário permaneça mais na empresa e apresente bons resultados.

Não dar a devida atenção ao processo de recrutamento é um erro comum das empresas?
Nós reforçamos muito isso com as franquias. O processo de recrutamento tem que ser padronizado, com perguntas unificadas para cada função. Não dá para usar os mesmos critérios para diferentes cargos. Sem esses procedimentos, não há condições de
comparação. O varejo é muito dinâmico e o momento da entrevista tem que ser num espaço e tempo reservados para isso.

A Chilli Beans é vista como uma empresa que preza a liberdade de expressão. Como é isso na prática?
Nossos funcionários podem se comportar como eles realmente são e isso é um grande diferencial. A pessoa será cobrada pelos  seus resultados e esse é o maior provedor de felicidade dos que trabalham aqui. Temos indicadores coletados nas pesquisas de  desligamento que mostram que o maior fator de engajamento é a liberdade de expressão, aliado aos nossos valores.

Você acha essa uma tendência das empresas a longo prazo ou algumas companhias devem se manter conservadoras?
Eu acho que isso ainda não cabe a algumas empresas, mas há uma tendência para que isso mude. O que vemos é que a geração atual tende a procurar emprego em empresas cujos valores fazem sentido à sua vida. Diferente da geração dos meus pais, por exemplo, onde as pessoas trabalhavam para sustentar a família e cumprir seus compromissos financeiros, hoje os jovens  buscam trabalho onde haja um propósito.

Esta entrevista foi publicada na edição número 43 do Nosso Varejo.

Clique aqui e leia a edição na íntegra

TAG
campinas Entrevista gestão de rh negócios nosso varejo processo de seleção seleção
CATEGORIAS
SindiVarejista